Poluição e desequilíbrio nas cadeias alimentares

como os seres vivos de um ecossistema estão ligados entre si por cadeias alimentares, a poluição ou a morte de uma especie podem afetar muitas especies. Poluição é o acréscimo ao ambiente de produtos que ameacem a saúde ou a sobrevivência de seres humanos ou de outros organismos.



Os agrotóxicos e a cadeia alimentar

Para combater insetos e outros organismos que se alimentam de plantas, é comum o uso de agrotóxicos, também chamados pesticidas ou defensivos agrícolas. Contra insetos , por exemplo, usam-se inseticidas, contra fungos , fungicidas, e assim por diante. Muitos inseticidas não são específicos e afetam a maioria dos organismos. Além de destruírem insetos perniciosos, afetam aqueles que transportam pólen (essencial para a reprodução de certas plantas) e diversos outros que se alimentam das especies perniciosas. Com isso, os insetos que resistirem ao veneno ficam livres de seus inimigos naturais e podem proliferar rapidamente.

Desequilíbrios na cadeia alimentar

A eliminação de uma especie pode ter efeitos negativos sobre outras especies da cadeia alimentar. Se pássaros, aranhas e outros animais que comem insetos herbívoros forem eliminados, esses insetos proliferarão e poderão destruir plantações.
Em um rio na Califórnia, observou-se que peixes do topo da cadeia alimentar, como as trutas, comiam libélulas, e estas ingeriam um tipo de mosquito que se alimentava de algas. Os pesquisadores removeram boa parte das trutas e observaram que a população de libélulas aumentou. Com isso, a população de mosquitos diminuiu e a de algas aumentou, a ponto de cobrir a superfície do rio e provocar desequilíbrios ecológicos.
Outro exemplo de desequilíbrio foi observado no atlântico norte, onde a pesca do bacalhau provocou o aumento da população de ouriços do mar, que destruíram as algas do fundo.

Magnificação trófica

A matéria orgânica presente no esgoto domestico pode ser decomposta por microrganismos, como as bactérias. Dizemos que ela é biodegradável.
Um dos mais sérios problemas atuais é o acumulo de poluentes no ambiente, como o chumbo, o arsênio, e o mercúrio, que não podem ser decompostos pelos microrganismos ou por processos naturais. São poluentes não degradáveis ou não biodegradáveis.
Há também poluentes que são degradados de forma muito lenta, chamados poluentes persistentes. É o caso de algumas moléculas sintéticas, como a maioria dos plásticos e alguns detergentes e inseticidas, como o DDT (diclorodifeniltricoroetano), que demoram dezenas ou centenas de anos para se degradar.
Os poluentes não biodegradáveis e os persistentes tendem a se acumular no ambiente e no corpo dos seres vivos, em um processo chamado de bioacumulação. Dependendo da concentração, podem provocar danos aos organismos.[
Por causa da redução da biomassa na passagem de um nível trófico para outro, a concentração de um produto toxico aumenta nos organismos ao longo da cadeia e os organismos dos últimos níveis troficos acabam absorvendo doses altas dessas substancias, prejudiciais a saúde. Esse fenômeno é conhecido como magnificação trófica, biomagnificação ou amplificação biológica.

Um caso trágico de intoxicação por mercúrio ocorreu no japão, quando uma industria, instalada em 1932, começou a despejar mercúrio, usado na produção de matéria-prima para plásticos, nas águas da baia de Minamata. Esse metal foi absorvido pelo plâncton e , através da cadeia alimentar, atingiu os peixes e moluscos, que serviam de alimento para população local.
Por volta de 1950, começaram a aparecer os problemas decorrentes do deposito de mercúrio no sistema nervoso, no figado e nos rins, causando a morte de cerca de mil pessoas, alem de provocar surdez, paralisia ou cegueira em mais de 2 mil pessoas, no desastre que ficou conhecido como "doença de Minamata".

Em certas regiões do Brasil, principalmente na amazônia, os garimpeiros usam o mercúrio para separar o ouro de impurezas. Eles misturam esses dois metais para formar uma liga, o amalgama.
Aquecendo-a, o mercúrio é vaporizado e resta o puro ouro. Nesse processo, o garimpeiro pode se contaminar ao inalar os vapores tóxicos do mercúrio.
Além disso, parte desse metal contamina o solo e as águas, na forma do composto orgânico metilmercurio, que é ingerido por peixes e outros animais silvestres. Por isso é necessário investir em projetos de monitoramento da concentração local de mercúrio, alem de conscientizar os garimpeiros da necessidade de usar equipamentos para evitar que o mercúrio escape no ambiente e ,quando for o caso, fornecer-lhes esses equipamentos.

A duzia suja

Alguns agrotóxicos fazem parte do grupo dos poluentes orgânicos persistentes (POPs), compostos que ficam por muito tempo no ambiente, acumulam-se na cadeia alimentar e podem causar danos aos organismos, até mesmo ao ser humano.
Em 2006, entrou em vigor a Convenção de Estocolmo sobre os Contaminantes Orgânicos Persistentes,que propõe a redução e eliminação dos doze POPs considerados perigosos para o meio ambiente e chamados de "duzia suja".Na lista há pesticidas (entre eles o DDT, cujo uso ficou restrito ao combate da malária), produtos químicos usados na produção de alguns plásticos e subprodutos da industria e da combustão do lixo urbano e hospitalar.

Os plásticos



Os plásticos em geral demoram muito para se decompor, o que pode causar problemas ao ambiente. Calcula-se que  cerca de 90% do lixo flutuante nos oceanos é formado por materiais plásticos. 
Peixes, aves marítimas, tartarugas, focas e leões-marinhos podem ingerir pedaços de plastico e morrer por asfixia ou lesões internas.
Por isso, antes de jogar um objeto de plastico no lixo, pense se ele não pode ter outras utilidades. Um saco plastico de supermercado, por exemplo, pode ser reutilizado. Você pode também diminuir o consumo desses produtos usando, por exemplo, uma bolsa de pano para transportar os produtos.
O plastico pode ser reciclado e utilizado para fabricar novos materiais: garrafas, baldes, cerdas de vassouras, sacolas, entre muitos outros produtos para residencias e industrias. Um dos plásticos mais reciclados é o PET (polietileno tereftalato), encontrado nas garrafas plasticas para bebidas. Reduzir o consumo e promover a reciclagem contribuem para diminuir o consumo de petróleo (plásticos são produzidos a partir do petróleo) e a poluição, alem de aumentar a vida útil dos aterros sanitários e gerar empregos.

Pra quem acha que o negocio é brincadeira ; - ;

Pois é...


Texto retirado do livro didático: Biologia Hoje, volume 3, págs 228-230
Mais informação a caminho!

Jacaré-do-Pantanal - Caiman crocodilus yacare


Classe: Reptilia.
Ordem: Crocodilia.
Família: Crocodilidae.
Nome científico: Caimam crocodilus yacare.
Nome vulgar: Jacaré-do-pantanal.
Categoria: Ameaçada.
Tamanho médio: 3 metros.
Habitats: Norte da argentina, Centro-sul do Brasil, Sul da Bolívia e Paraguai.

As principais características do animal são suas escamas osteodérmicas bem-desenvolvidas e flancos menos ossificados. No pantanal, é chamado de jacaré piranha, devido seus dentinhos ficarem claramente expostos para quem quiser ver(uma gracinha).
Os dentes da mandíbula podem se projetar para cima, ultrapassando a maxilar superior. Pode ser encontrado em diversos habitats associados a vegetação flutuante, como pântanos, áreas alagadas, rios e lagos.

C. crocodilus yacare, ou C. crocodilus crocodilus? Fica a reflexão ai ; - ;


Alimentação e Reprodução:
O dito cujo se alimenta de peixes e outros vertebrados aquáticos, podendo também comer caranguejos, caramujos, ou insetos. Constrói um ninho com folhas e fragmentos de plantas, nas bordas de capões do cerradão e das matas, ou sobre tapetes de vegetações flutuantes.
Desova de 20 a 30 ovos em uma câmara no interior do ninho. O período de nidificação coincide com as enchentes (janeiro a março).


Mais uma fotinho porque eu sou gente boa. : D


A extinção das abelhas apresenta um risco para nós?



 A queda nas populações deste inseto tem ocorrido tanto por fatores naturais como pela ação humana, por exemplo, por meio da destruição do ambiente das abelhas selvagens e do uso excessivo de agrotóxicos e agroquímicos (que também prejudica outros animais).
No Reino Unido por exemplo, a quantidade de abelhas equivale apenas 25% do necessário para a polinização.

A doutora Maria Caldas Pinto, do centro de ciências humanas e agrarias da universidade estadual da paraíba (UEPB), reconhece que a extinção das abelhas pode ser sim um motivo de preocupação para os seres humanos. A existência desse inseto é fundamental para a humanidade, e se não preservarmos os meios ambientes e mantivermos a população desses animais, diz ela, existe um risco não só da extinção das abelhas, mas também a nossa. Veja o porque:

Se as abelhas sumirem, grande parte dos vegetais também deixará de existir. Isso porque as abelhas são responsáveis pela polinização de até 90% da população vegetal. Alguns apicultores tendem até a "alugar" abelhas para a polinização de fazendas. Pássaros e outros insetos também podem atuar como polinizadores, porém em uma escala muito menor.

Com a queda drástica na quantidade de vegetais disponíveis, as fontes de alimentação de animais herbívoros ficarão escassas, gerando uma especie de efeito domino na cadeia alimentar. Especies de herbívoros tendem a morrer, diminuindo a oferta de alimento para carnívoros, atingindo um numero cada vez maior de especies, até chegar ao ser humano.



Pequeninas abelhas Jataí, porque não atrai-las para sua casa? : D



Agora a parte que deve nos dar preocupação:

Com poucos vegetais e carnes a disposição, valerá a lei da oferta e da demanda. A tendencia é que os preços dos alimentos disparem, assim como os valores de outros artigos de origem animal e vegetal, como o couro, a seda e o etanol, por exemplo. Assim está formado uma crise econômica.
Na luta pelo pouco alimento que restou, a população mundial pode iniciar conflitos e até guerras. A agropecuária em crise afetará vários setores da economia, gerando desemprego, queda geral de produtividade e insatisfação popular. Com a fome, muitos morrerão ou ficarão doentes. 


A extinção das abelhas apresenta um risco para nós?

A resposta a esta pergunta é sim. Muito embora ainda exista certa medida de equilíbrio na população desses animais, devemos nos certificar de que será mantido dessa forma, pois a ausência destes no meio ambiente traria consequências desastrosas. Nos EUA por exemplo, entre 2006 e 2008 houve uma diminuição "misteriosa" na quantidade de abelhas, causando um prejuízo de mais de 14 bilhão de dólares.


Até que são bonitinhas de perto né?



MATERIAL INTERESSANTE SOBRE ESTE ASSUNTO:  REVISTA MUNDO ESTRANHO


Tyto Ecology - Game para biólogos?






Olá pessoal, como estão hoje? 
Por esses dias estou com bastante tempo livre aqui, e como gosto muito de games resolvi dar uma pesquisada por ai em alguns joguinhos novos para mim. Acabei encontrando Tyto Ecology, que é um joguinho bastante simples, onde você deve administrar um bioma, estabelecendo um bom equilíbrio entre os seres que nele viverão.



Dentre as características do jogo, temos:


- Mais de 70 animais e plantas para adicionar ao seu bioma.
- Jogo com foco em ensinar ecologia enquanto entrega diversão!
- Construção de biomas auto-sustentáveis
.
Apesar de parecer um game com publico alvo infantil, garanto que a adultaiada pode curtir bastante!

O game pode ser comprado pela STEAM, por R$13,99 e possui algumas expansões caso queira adicionar conteúdo.

Visitamos a Bird Land no Hot Park!

Recentemente eu e um amigo viajamos para rio quente, e claro que não fomos embora sem visitar o Hot Park! Para ser franco, viajamos com o intuito de conhecer o parque mesmo (hehe).
Como de costume, fiz uma pesquisa prévia sobre atividades em rio quente, visto que nem só de hot park vive o homem, e também atividades interessantes dentro do parque. Foi ai que encontrei uma atração que me trouxe brilho aos olhos: a bird land.
Agora vos trago a minha humilde opinião sobre esta atração, que será muito útil caso deseje visita-la no futuro.




É caro, mas nem tanto 0o


Para começo de conversa, se quiser visitar a atração, pode ficar preparado para gastar. O valor da entrada, com direito a três fotos e uma cumbuquinha de comida para os animais é cerca de R$100,00,e abaixa para cerca de R$60,00 caso queira abrir mão da compra das fotos. Vale lembrar que não é permitido que levem câmeras ou celulares para dentro da atração.
Outro ponto que vale constar aqui é que o potinho de comida é muito pequeno, então caso visite a atração, vai precisar racionar bem as sementes e rações para conseguir um contato legal com todas as aves e outros bichinhos, mas caso termine seu suprimento não precisa sair da atração, você pode ficar o tempo que quiser passeando na área da atração e interagindo com os animais.
Vou logo esclarecendo que o passeio vale a pena, mas aviso de antemão que você vai ter que estar disposto a gastar.

A sensação de estar em um vale de conto de fadas


Meus amigos e amigas, perdoe-me pela hype que vou passar, mas estou sendo totalmente sincero aqui. Foi um passeio sem igual! Assim que entrei na área da atração, fui recebido por um grupo de veadinhos que aguardavam a ração. Pude interagir com cada um deles, o que é uma experiencia fantástica! Fiquei uns quinze minutos conversando como um retardado com os bichinhos, então decidi que era hora de me aventurar mais a fundo.
Fui até a parte mais baixa da atração, onde ficam uns pássaros que acredito que sejam faisões, mas não tenho certeza não. Nesse momento tive sensações mistas, porque ao mesmo tempo que recebi varias bicadas nos pés pelos supostos faisões, várias jandaias, tiribas, papagaios e um tucano de bico verde (meu preferido) me cercaram, e muitos subiram nos meus braços e costas, o que foi muito divertido.


Mais ou menos assim 0o


O tucano, que carinhosamente chamei de Bob, ficou comigo por todo o passeio, foi um bom companheiro.


Representação de Bob, já que não bati fotos.


Também alimentei e brinquei com araras canindé, tucanos toco, e algo que me tocou muito foi pela primeira vez na vida interagir diretamente com pavões! (acho que é assim que se escreve o plural de pavão).
Para encurtar a historia, fiquei por volta de uma hora na atração, e só sai pois o parque estava próximo de fechar. Valeu a pena.

Outras considerações:


Só de lembrar da experiencia já tenho uma sensação agradável, até me confundo um pouco nas ideias aheuae. Por isso vou organizar em pontos aqui para facilitar a compreensão.

- Atração é cara, mas vale a pena para quem gosta desses animais.
- O pote de comida é pequeno, então se forem na bird land, não esbanjem as rações!
- Pode ficar o tempo que quiser na atração.
- Não pode tirar foto, só comprar a foto.
- Apesar da maioria dos animais ter um comportamento amigável, alguns não são tão simpáticos! Levei varias bicadas (cuidado com as maracanãs!).
- Se encontrarem um tucano de bico verde, ele atende pelo nome de Bob, e é o mais simpático dos animais da bird land.
-Procurem ir no ultimo dia da sua viajem para gravar bem na memória.
- Tentem ir próximo as 4h da tarde, é um horário bastante vazio e como as aves começam a se recolher, você encontrará elas agrupadas em uma área só! (pode variar).

Espero que a matéria tenha sido útil para vocês, e caso tenham perguntas estarei a disposição!




Ecologia e comportamento de aranhas

Este livro apresenta revisões didáticas sobre diversos aspectos da biologia de aranhas, incluindo comportamentos ligados à seleção de habitats, forrageamento, reprodução, socialidade e interações interespecíficas. Treze pesquisadores foram convidados a apresentar um quadro geral do conhecimento atual sobre ecologia e comportamento de aranhas, assim como das perspectivas para trabalhos futuros na área. O resultado é uma obra abrangente, interessante não apenas para cientistas que trabalham especificamente com o tema, mas também para estudantes de biologia e todos aqueles que tem curiosidade sobre a vida desses fascinantes animais.


Para baixar: clique aqui!

Guia de criação de caranguejeiras


Nesta postagem rápida pessoal estou deixando disponível o guia de criação de caranguejeiras.
O pequeno livro explica como devem ser os cuidados com diversas espécies de aranhas, e da várias outras dicas de criação.

O download é gratuito pelo mediafire:

Para baixar, clique aqui!






Tabela nutricional de alimentos para aranhas

Olá pessoal!
Segue uma tabela nutricional de alimentos vivos que podem ser oferecidos para aranhas e outros animais criados em "cativeiro".
Lembro que para as lings (filhotes), podem ser oferecidos pedaços dos alimentos vivos, e que de preferencia sejam de tamanho próximo ou menor que o tamanho do abdome do animal que será alimentado. 
Prefiro oferecer aos meus animais grilos e baratas por serem pouco gordurosos e oferecerem quantidade maior de liquido para o animal a que serão oferecidos, mas fica a critério do criador.
Espero que seja útil a todos. : )


Qualquer duvida estarei a disposição : D

Veja também nossas dicas de como criar uma aranha:





Postagens populares